Luis Espinal

Luis Espinal foi um padre jesuíta boliviano-catalão, jornalista, cineasta e critico de cinema, liderança social ativa da Teologia da Libertação na luta pela justiça social e pelos direitos humanos. No decorrer da década de 1970, Luis Espinal escreveu na Bolívia vários livros tratando da utilização do cinema como instrumento de conscientização popular. É de sua autoria os livros “Cinema e seu processo Psicológico”, “Consciência critica diante do cinema” e “Sociologia do Cinema”. Ele destacava a importância de preparar o espectador para que seja crítico diante do cinema e para que possa reagir positivamente diante dele. Em 21 de março de 1980, Luis Espinal foi seqüestrado e brutalmente torturado até a morte. O assassinato do padre Espinal se inscreveu nos fatos do “terrorismo preparatório” do golpe de Estado de Garcia Meza, ocorrido em 17 de julho de 1980 na Bolívia.

Dia do Cine Boliviano
Em 2007, através do Decreto No. 29067, foi instituido na Bolívia o “Dia do Cine Boliviano” em 21 de março, para se recordar o aniversário do assassinato de Luis Espinal, e para homenagear a sua luta pelo respeito dos Direitos Humanos e o estabelecimento da democracia na Bolívia.

Assistir ao documentário Lluis Espinal: un màrtir incòmode, produzido pela TV3 – Catalunha.

Anúncios